domingo, 15 de agosto de 2010

Flor de Natal.

No inverno as plantas não ficam tão bonitas, uma ou outra vem nos alegrar com suas flores, e essa flor de natal me alegra imensamente, dando um colorido todo especial ao meu jardim.
E as borboletas vivem a me visitar me deixando encantada com suas cores e o seu bailar por entre as flores.


Os conhecedores tratam-na por Euphorbia Pulcherrima mas entre nós é conhecida como flor ou Estrela de Natal.

Esta flor pertence à família das Euphorbiaceae e caracteriza-se por largas folhas e pétalas, de um vermelho vivo, rosa ou creme, entre outras atingidas através de manipulação genética, e uma larga área de sementes amarelas ao centro da flor.
Vinda da América Central, mais especificamente da região de Taxco del Alarcon, a planta era denominada pelos astecas de “cuetlaxochitl”. A planta era utilizada por este povo para a produção de tintas usadas na cosmética e tingimento de tecidos, além de usarem a sua seiva na produção de medicamentos contra a febre. Ainda hoje se utilizam aí as poinsétias de brácteas esbranquiçadas para a produção de cremes depilatórios, além do seu cultivo para a formação de sebes.

Terá sido talvez a partir do século XVII que a planta começa a ter um significado natalício, quando frades franciscanos começam a utilizá-la numa procissão desta quadra, designada por “Festa de Santa Pesebre”. As brácteas vermelhas começaram a ser associadas simbolicamente, pela sua forma, à estrela de Belém.


As brácteas vermelhas parecem pétalas que rodeiam as pseudo-umbelas onde estão as pequenas flores, envolvidas por uma camada verde e uma glândula amarela que nasce unilateralmente.Os floricultores, especialmente os da Escandinávia e da Califórnia, foram os responsáveis pela obtenção de variedades cultivares mais adaptadas à decoração doméstica, quer pelo tamanho (já que estas plantas chegam a formar abustos ramificados que atingem 3 m de altura, principalmente se plantadas no exterior), quer pela coloração e padrão de cores presente nas brácteas.
A seiva leitosa da planta, constituída por um tipo de látex irritante, em contacto com a pele e mucosas provoca inflamações, dor e comichão, podendo causar também irritação nos olhos, lacrimejamento, inchaço das pálpebras e dificuldades na visão. A sua ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarreia. É falso, no entanto, que possa provocar a morte.
Fonte da pesquisa: Wikipédia.

3 comentários:

  1. Linda esta flor, muito boas as informações.
    Bjs e Bom Final de Domingo

    ResponderExcluir
  2. Aqui nos EUA se usa muito na época do Natal, pois é característica desta época.
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  3. Acho linda de viver a flor.
    Só não gosto das borboletas...hehe, tenho medo.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pela delicadeza em deixar um recadinho ! Bjos, Lú.